Creche para cachorro: será que os bichinhos gostam?

Creche para cachorro: será que os bichinhos gostam?

Seu amigão é maior que o seu apartamento? Ele é pequeno, mas tem muita energia? O danado se acostumou a fazer as necessidades na rua? A história se repete em quase todas as casas que são habitadas por um peludo. O cachorro precisa sair para passear e o tutor não tem tempo suficiente para isso. Cachorro sem gastar energia fica estressado e deixa o tutor estressado também. A solução? Para muitas famílias, tem sido procurar uma creche – também chamada de Day Care. O que tem na creche para cachorro? Esses espaços funcionam como uma creche para crianças. Têm uma área de lazer com brinquedos, oferecem recreação e fazem passeios. É comum, além das atividades cotidianas, os cachorros terem aulas de adestramento. Mas algumas creches caninas vão além: têm até aula de natação, sala de musicoterapia, jogos cognitivos, esteira para exercícios e até playground. Há outras ainda que oferecem serviços como massagem e até comida fresca, como vegetais e carnes, em vez de ração. Os cães são assistidos por monitores e às vezes há veterinários à disposição. Mas, você não sente-se confortável de deixá-lo com desconhecidos sem receber notícias o dia todo? Sem problemas, há creches que enviam fotos do pet para o tutor se tranquilizar. A creche costuma trazer outro benefício para os peludos, além do gasto de energia. Muitos tutores relatam que o companheiro passou a aprender a respeitar mais comandos e interagir melhor com outros cães, depois de frenquentar uma creche. Como escolher uma boa creche para cães?  Leve em conta o valor, o tratamento e o que a creche tem a oferecer. É importante que o dia do cãozinho seja repleto de atividades. Além disso, verifique sempre a área de convivência dos cães e as regras de interação entre os animais. É importante que o local tenha um veterinário para possíveis emergências. Solicite sempre fotos ou vídeos para saber como o cãozinho está se comportando. Vale lembrar que a maioria só aceita animais dóceis, sociáveis, com as vacinas em dia e que não estejam no cio.   Fonte: https://mytxai.pet

Medo de trovões

Medo de trovões

Hoje em dia é cada vez mais comum encontrar cães que tem medo de trovões, ou se apavoram ao ouvir o som de fogos. Oferecer ao seu cão petiscos, carinho e proporcionar momentos divertidos quando uma tempestade se aproxima fará com que esse momento traumático e apavorador se torne tranquilo e agradável. Medo de trovões – Como ajudar seu cachorro? Comece cedo… Se o seu cão ainda é um filhote, repare se ele mostra algum sinal de medo quando uma tempestade se aproxima, mesmo um pequeno susto não deve ser ignorado. E mesmo que ele não esteja completamente apavorado ao ouvir esses sons, não significa que ele não está sofrendo com esses barulhos. A fobia de tempestade ou de fogos é considerado um desvio de comportamento e é progressivo. Tente nessa hora oferecer algum tipo de distração positiva para o seu cão, assim ele ficara ocupado e distraído com algo que o deixe tranquilo. Chamamos isso de mudar o foco! Alguns donos preferem não oferecer nenhum tipo de atenção ao cão, porque não querem reforçar o “comportamento negativo” ocasionado pela tempestade ou os fogos. Mas saiba que essa não é a maneira e nem a hora certa de dizer ao seu cão para ser corajoso. O seu cão não irá entender que você o está punindo porque ele está com medo! Na verdade só irá piorar a situação. Ao invés disso, dê a ele uma distração positiva para estimular o comportamento mais calmo. Momentos agradáveis, com brincadeiras usando petiscos e brinquedos, são as melhores técnicas para se aplicar antes das tempestades. Faça isso antes mesmo da tempestade começar. É uma ótima opção fazer com que o cão associe barulhos com petiscos e brincadeiras. Alguns cães se escondem quando estão com medo, é uma defesa natural para eles. Fazer com que eles se acostumem em caixas de transporte para se abrigarem nas horas de desconforto, pode ser uma ótima maneira de diminuir a ansiedade e o medo do seu cãozinho. Dessensibilizar o seu cão é também uma forma muito produtiva de eliminar esse medo de barulhos.  Usando um CD com sons de trovão ou outros sons. Você pode brincar com ele enquanto vai aumentando o volume do som gradativamente para que ele se acostume com esses barulhos. Assim o estimulando a se sentir à vontade com esses sons. Essas são algumas dicas que podem ser uma mão na roda para quem enfrenta esse tipo de problema. Existem diversas outras maneiras para ajudar cães e donos que sofrem com isso, mas, se nenhuma dessas dicas ajudá-lo, procure a ajuda de um Profissional especializado em Comportamento Canino. Fonte: http://www.blogdocachorro.com.br/

Como entender os sinais e o comportamento dos cavalos

Como entender os sinais e o comportamento dos cavalos

O cavalo é um ser vivo que causa o fascínio da grande maioria das pessoas. Ele é um animal dos mais sensitivos do planeta, sendo capaz de sentir uma mão ou uma perna trêmula, um estado de irritação do cavaleiro ou amazona. Existem diversas histórias sobre o comportamento dos cavalos,  que comprovam a percepção extra sensorial, considerada como um sexto sentido. Observando os sinais de comportamento dos cavalos Os equinos têm uma forma peculiar de se comunicarem por meio de sinais, quer seja com as orelhas, as narinas, a cauda, os olhos, a cabeça, os membros, entre outros. Observando o comportamento, muitas conclusões podem ser tiradas: - Quando o cavalo está com o pescoço alto, balançando a cabeça para baixo e emitindo sons, roncos ou relinchos, isto é sinal de aprovação, ou tentativa de chamar a atenção; - Narinas dilatadas, orelhas eretas e para frente é sinal de atenção; - Trabalhando na guia ou redondel, o animal, geralmente, posiciona a orelha de dentro para o círculo em direção ao treinador e a orelha de fora fica alternando sua posição. Isto também é sinal de que o animal está trabalhando atento e concentrado; - Caso trabalhe com orelhas para trás e esteja inquieto, alternando as andaduras, isto pode significar cansaço, descontentamento, ou ainda, indisciplina; - Garanhão com lábio superior levantado, com a cabeça para cima, as narinas fechadas e a respiração forçada significa que estão com a libido exacerbada, sentindo éguas próximas. Este sinal se chama Reflexo de Fleming; - Animal com uma pata levantada e somente a pinça do casco apoiada, significa que está descansando; - Animal batendo a cauda de um lado para o outro, acompanhado ou não de membros batendo ou raspando o chão significa irritação, insatisfação. Cuidado!; - As narinas dilatadas são um sinal de alerta; se o animal soltar o ar com força pelas narinas, emitindo sons, isto significa excitação ou vontade de chamar a atenção; - Os olhos são de mais difícil interpretação. Olhos um pouco fechados, com orelhas para trás e animal cabisbaixo, triste, pode significar dor, febre ou outro problema de saúde; - Cavalos dormindo, geralmente, ficam em pé, cabisbaixos, com olhos totalmente ou quase totalmente fechados; - Equinos com a cauda levantada, que chamamos de cauda em bandeira, mostra que o animal está excitado. No caso de éguas, cauda levantada, acompanhada de pequenos jatos de urina e reversão dos lábios vulvares deve indicar animal em cio. Lembrar que, para urinar e defecar, a égua também levanta a cauda; - Machos inquietos, procurando ficar esticados com membros para frente, indicam desejo ou preparação para urinar; - Éguas procurando garanhões podem ficar alternando a posição das orelhas; - Cavalos trabalhando com gado, em provas de laço, apartação, “buldogging”, “team penning”, geralmente, ficam com as orelhas totalmente voltadas para trás; - Trabalhando provas de salto, rédeas, marcha, adestramento e outras, as orelhas ficam para frente ou alternando-se; - Quando nos aproximamos do animal com objetos, geralmente, ele olha, vira a cabeça em direção ao objeto, solta ar pelas narinas, mostrando desconfiança; - O sinal mais perigoso e merecedor de todo o cuidado são orelhas totalmente voltadas para trás, cauda entre as pernas e olhos esbugalhados. Cuidado! Aí vem coice. Os equinos possuem excelente acuidade visual, bom olfato, sensibilidade ao tato, ótima audição e gustação. Tais “poderes” podem ser facilmente observados quando estes rejeitam uma nova ração, ou pela grande seletividade de gramíneas, a reação da pele ao pouso de uma pequena mosca, os movimentos das orelhas e a cabeça erguida a qualquer som diferenciado e a capacidade de visualização à noite. Qualquer alteração no comportamento dos cavalos merecem atenção e respeito.   Fonte: https://www.cpt.com.br/  

Como saber qual será o tamanho de um cachorro quando ele crescer?

Como saber qual será o tamanho de um cachorro quando ele crescer?

Enquanto são pequenos todos os cães são adoráveis e manipuláveis, mas alguns deles se tornarão verdadeiros gigantes. Assim, antes de levar o animal para sua casa, leve em conta algumas variáveis que podem dificultar a sua vida dependendo do tamanho de um cachorro. Como posso descobrir qual será o tamanho de um cachorro quando ele crescer? Se o animal de estimação é de raça e  você conhece os pais do animal, é possível ter uma ideia aproximada do peso e altura que seu cão alcançará quando ele chegar em uma idade adulta. Por exemplo: As cadelas com certeza serão similares à mãe nestes aspectos e os machos serão similares ao pai; Se existe muita diferença de tamanho entre os progenitores, o mais provável é que seu cão alcance um tamanho intermediário; Descubra sobre o peso e a altura média da raça de seu cão em suas distintas etapas de crescimento e compare os dados com os registros que você fizer de seu animal. Se existirem diferenças muito discrepantes, o mais provável é que seu cão seja um pouco menor ou maior que o habitual para a raça a que pertence; Se o animal é de raça misturada, tente traçar uma média entre os tamanhos padrão de cada animal; Formas de calcular o tamanho de um cachorro mestiço na idade adulta A questão se complica um pouco quando você tem diante a um lindo vira lata e não tem nem ideia de quem são os pais. No entanto, sempre há pistas para tentar entender qual será o tamanho de um cachorro. Por exemplo: se o cão tem as patas e as orelhas muito grandes em comparação com seus corpos, é quase certo que será um adulto de tamanho considerável. Você também pode fazer um cálculo aproximado do peso que seu animal terá quando ele tiver um ano de idade, que é a data média em que os cães alcançam a idade adulta. Siga os seguintes passos: Descubra o peso do cão; Divida essa cifra por sua idade calculada em semanas; Multiplique esse resultado por 52, que é a quantidade de semanas que há em um ano. Lembre-se que os cães pequenos crescem muito mais rápido, por isso podem estar completando seu crescimento antes dos doze meses de idade e que os animais muito grandes podem continuar crescendo até os dois anos de idade. Sabemos que você será responsável pelo seu amigo de quatro patas e irá amá-lo sem se importar, mas nunca é demais considerar algumas variáveis para poder cuidá-lo da melhor maneira possível durante toda sua vida. Fonte: https://meusanimais.com.br/

COMO SE APROXIMAR DE UM CÃO DESCONHECIDO?

COMO SE APROXIMAR DE UM CÃO DESCONHECIDO?

Se você é alguém que ama os animais e que se preocupa com eles, certamente se encontrar na rua um peludo que parece perdido ou abandonado irá querer se aproximar para socorrê-lo. Entretanto, antes de tentar se aproximar de um cão desconhecido, você deve tomar uma série de precauções para evitar que o cão interprete mal suas intenções e que venha a reagir de maneira negativa. O que você deve levar em conta antes de se aproximar de um cão desconhecido Antes de se aproximar de um cão desconhecido você deve estudar a linguagem corporal dele e decodificar os sinais que ele emite. Desista da ideia de se aproximar se o animal mostrar sinais de agressividade. Por exemplo: Latidos e grunhidos; Mostrar os dentes; Orelhas em pé e para frente; Cauda erguida; Patas rígidas; Pelagem arrepiada. Nestes casos, existe grandes possibilidades de que o animal tentará te morder. Como você deve se aproximar de um cão desconhecido Se o peludo se mostrar amigável, ou se pelo menos não apresentar sinais de agressividade, tente fazer com que seja ele que se aproxime de você. Se ele não o fizer, você pode se aproxima dele, de lado, muito lentamente: Não fale com força, mas sim em um tom calmo e afetuoso; Não faça movimentos bruscos, nem tente encurralá-lo; Evite o contato visual prolongado.O animal poderá interpretar isso como um desafio e um sinal de domínio de sua parte; Estenda a sua mão para que ele a cheire. É uma forma de demonstrar suas boas intenções; Acaricie-o com suavidade, preferencialmente no lombo; Permaneça agachado, para lhe demonstrar que está a seu nível. Se você notar que o cão está reticente, retroceda e tente o contato novamente em outro momento, ou depois de alguns minutos. E leve em conta que se o cão mover a cauda, isso nem sempre é sinal de alegria, pode ser um claro sinal de que ele se encontra agitado e nervoso. Resista à tentação de acariciar um peludo que passeia com seu dono, você primeiro deverá pedir permissão ao dono e fazer como ele lhe indicar. É importante que você explique às crianças da família que elas não devem se aproximar e nem tentar acariciar um cão desconhecido, por mais que elas gostem de animais. Lembre-se que conhecer a linguagem corporal dos cães é de suma importância nestes casos. Assim você poderá se aproximar com êxito de um cão desconhecido e ajudar para que ele reencontre seus donos ou um lar substituto e que, possivelmente, poderá ser o seu.   Fonte: https://meusanimais.com.br/