Banho a Seco Sanol Dog

Banho a Seco Sanol Dog

O Banho a Seco Sanol Dog é perfeito para a limpeza e higienização da pelagem do seu pet em situações onde o banho tradicional não for possível. Formulado com silicone, emolientes e umectantes, auxilia na remoção de sujeiras e impurezas que podem ser absorvidas durante o dia a dia, cuidando e higienizando sem danificar a pelagem do seu animal.  

Como dar banho a seco em cachorro? Será que funciona?

Como dar banho a seco em cachorro? Será que funciona?

O dia está frio, chuvoso, e tudo o que você quer é se enrolar na coberta ao lado do seu peludo, para ver um bom filme. Só que quando percebe, ele está precisando ter os pelos higienizados. O que fazer nesse caso? Saiba que o banho a seco em cachorro pode ser uma ótima opção. Há produtos especialmente desenvolvidos para que você possa deixar os pelos do seu pet cheirosos, macios e limpinhos. Basta seguir alguns passos simples que, em pouco tempo, aquele cheirinho forte vai sumir do bichinho e ele estará lindo e perfumado. Porém, para que tudo dê certo, é preciso seguir alguns passos que garantirão a eficácia da lavagem a seco do cachorro. Veja o passo a passo e descubra quando o banho sem água pode ser usado. O banho a seco em cachorro é seguro? Resolve?  Uma dúvida comum dos tutores é se o banho a seco para cães é realmente eficiente e se há algum risco em usar os produtos. Será que os pelos do pet ficarão limpinhos? Claro que se o bichinho tiver aprontado e brincado na lama, dificilmente você conseguirá higienizá-lo com a ajuda de produtos. Nesse caso, o melhor é usar o chuveiro. Entretanto, em situações pontuais, nos quais a pelagem está começando a embolar ou o cheiro está forte, o banho seco em cachorro é uma opção eficiente e segura, desde que o tutor use os produtos da maneira correta. Quando o banho a seco em cachorro é a melhor opção? Embora os pets não precisem tomar banho com frequência, como acontece com os humanos, é preciso garantir que eles estejam limpos. Mas você certamente sabe que nem sempre é possível colocá-lo no chuveiro para dar um banho quentinho, não é? É nesses momentos que o banho seco em cães pode ser a melhor opção. Como os produtos são em spray, é possível fazer todo o procedimento sem que a pele do bichinho fique úmida. Isso faz com que esse tipo de higienização possa ser interessante em casos como: Dias nos quais o bichinho está precisando de um banho, mas o tempo está frio; Em animais idosos que, naturalmente, estão mais quietinhos, são mais suscetíveis a doenças e, por isso, pode ser melhor evitar banhos frequentes que possam estressá-los; O banho a seco cachorro filhotetambém é muito útil. Afinal, por vezes os peludinhos precisam ser limpos, mas o banho convencional não é indicado antes da vacinação; Quando o seu amigo de quatro patas está realmente precisando de um banho, mas você não teve tempo de levá-lo ao pet shop. Quais as vantagens do banho a seco nos animais?  O seu uso é seguro; É eficiente; Tem um perfume muito agradável e deixa o pet cheiroso; Não umedece a pele; É prático; Pode ser usado em animais das mais diferentes idades; Tem fácil aplicação e, rapidinho, o tutor consegue fazer o procedimento, em casa mesmo, sem dificuldade; Pode ser levado na mala do peludo, para que quando vocês dois forem tirar férias juntos, você possa mantê-lo sempre higienizado; Neutraliza os odores e perfuma sem agredir os pelos e a pele. Como dar banho a seco em cachorro ? Caso o bichinho tenha brincado no mato e tenha ficado com terra ou pedacinho de grama em parte da pelagem, escove o local para retirar o que estiver solto; Proteja os olhos do peludo; Borrife o  banho seco no cachorro em toda a pelagem, exceto na cabeça e no rosto. Faça isso a uma distância aproximada de 7 cm, sempre na direção contrária ao nascimento do pelo; Borrife até sentir que a superfície da pelagem está úmida; Massageie o pelo para espalhar o produto; Aproveite para escovar os locais que estiverem com nó, para desembolar; Passe um pano seco e limpinho para retirar o produto e deixar o peludo bem sequinho; Para limpar a cabeça e a face, espirre um pouquinho do shampoo para banho a seco em cachorro em um pano limpo. Depois disso, passe no rosto, mas com cuidado, para não se aproximar dos olhos nem da boca.  Viu como o banho a seco em cachorro pode ser prático e muito útil? E com a ajuda da Sanol Dog você deixará o seu pet cheiroso e limpinho!   Fonte: https://www.petz.com.br/  

HIGIENE ANIMAL: O TEMPO RECOMENDADO ENTRE BANHOS

HIGIENE ANIMAL: O TEMPO RECOMENDADO ENTRE BANHOS

A raça e o perfil devem ser considerados quando o assunto for higiene. Existe a rotina de hábitos estipulados por seus donos, assim como a pelagem do animal, que pode ser mais curta, mais densa ou comprida. De um modo geral, quinze dias de espaçamento para a higiene é o mais indicado. Em alguns casos, dependendo das características, esse período pode variar. A complementação, quando necessária, pode ser feita com produtos específicos, banhos a seco, talcos, escovação e até uma solução com água, álcool e vinagre branco em partes iguais, que deve ser passada com o auxílio de um pano úmido. A Sanol Dog conta com a praticidade do Banho a Seco Gatilho, indicado para a higienização e limpeza rápida dos pelos de cães e gatos. Higiene: receita de um bom banho Antes de submeter o cachorro ao banho, uma escovação é recomendada para que os pelos soltos saiam, ajudando na eficácia posterior, principalmente quando o intervalo entre as duchas for superior ao recomendado. Quanto a temperatura da água, a regra é o bom senso! Não tão quente, tampouco fria, o correto é uma temperatura morna. Cuidado especial aos dias frios ou quentes demais. Ao utilizar produtos em seu cão, eles nunca devem ser os mesmos utilizados em humanos. Para o momento do banho o correto é a utilização de produtos específicos para cães.   Fonte: CachooroGato

TORNE O MOMENTO DO BANHO DO SEU CÃO, UM MOMENTO FELIZ!

TORNE O MOMENTO DO BANHO DO SEU CÃO, UM MOMENTO FELIZ!

A hora do banho é um pesadelo para o seu cão? Que tal ensiná-lo a gostar de um bom banho?   Muitas vezes, o medo do banho se dá pela associação ruim que o cão teve com alguns elementos como o barulho do secador, escova etc. O objetivo então é associar a hora do banho com coisas boas. Primeiro passo é deixar tudo preparado antes do banho. Deixe tudo a mão, shampoo, condicionador, toalha, escova e garanta que a temperatura da água esteja agradável. Molhe todo o cão, o ideal é utilizar o chuveirinho pois faz menos barulho. Ensaboe primeiro a parte de cima depois barriga e as quatro patas. Vá massageando lentamente, acariciando e conversando com o seu cão. Enxague bem e deixe por último o rosto tomando cuidado para não molhar o focinho para que ele possa respirar. Seque bem com uma toalha bem absorvente para que assim não precise utilizar por muito tempo o secador. Para tirar os nós dos pelos, utilize uma boa escova antes da secagem. Se o medo for do secador o ideal é realizar um treino para mostrar ao cão que a causa da aflição é inofensiva. Pegue um petisco que ele goste muito, ligue o secador distante dele e vá dando aos poucos em sua mão. Ao terminar os petiscos, desligue o secador. Nos outros dias, vá aproximando cada vez mais o secador dele até que consiga dar o petisco utilizando o secador nele. Se o seu cão não gosta de ser escovado pode utilizar este treino também com a escova. Atenção, o treino deve ser lento e gradativo para não causar traumas e se caso o treino não funcione o ideal é consultar um especialista em comportamento animal.   Fontes: http://blogjp.jovempan.uol.com.br e http://caocidadao.com.br

Por que os gatos têm medo de banho?

Por que os gatos têm medo de banho?

Você já deve ter visto muitas imagens de gatos fugindo com medo na hora de tomar banho. E a explicação pode estar na herança milenar da linhagem genética dos gatos domésticos. É que a aversão que os bichanos têm da água se deve a sua origem na trajetória de evolução dos felinos. Os gatos domésticos que conhecemos hoje são descendentes de uma espécie de gatos selvagens que vivem numa região entre o leste do Mediterrâneo e o Iraque. Foi nessa região que começou o processo de domesticação dos bichanos, há 10 mil anos, numa época em que começava o desenvolvimento da agricultura e a estocagem de grãos. Esse armazenamento atraía ratos, que, por sua vez, atraíam gatos selvagens que queriam caçá-los. Com o passar do tempo, essa espécie de gatos selvagens foi perdendo algumas características e mantendo outras, o que deu origem ao gato doméstico que conhecemos. A espécie deixou de ser feroz, mas manteve outros traços como a adaptação para caçar presas em terra e nas árvores, mas não na água. Embora conheça a origem desse hábito dos gatos, a Ciência ainda não sabe o que está por trás dele. Por isso, de acordo com Castanho, não se sabe ao certo que essa aversão é, por exemplo, por medo de se afogar ou de sentir frio. A "fuga do banho" não é uma regra entre os felinos. Há casos como os da onça pintada e do tigre, que nadam muito bem e fazem isso com frequência para caçar.   Fonte: Portal Terra